Páginas

segunda-feira, 2 de abril de 2012

A Questão Indígena

A postagem de hoje sai um pouco da temática de crítica ao comunismo,para se ater a uma maneira um tanto quanto romântica que nos ensinam a História seja nas escolas ou mesmo nas universidades,em vários pontos nos ludibriando dos fatos para a criação de heróis e vilões,e nessa versão romântica e em falta com a verdade que temos História se mostra forte quando o tema são os índios e a chegada do europeu ao continente americano.
 Contam a história de um povo inocente pacífico ludibriado por um outro belicamente mais forte sedento por dinheiro e poder,o europeu é o criminoso,o índio é a vítima,um é mau,o outro é bom.Sem contar a covardia que parece ser o embate entre ambos,imagina-se que os europeus tenham tomado conta de todo um continente com requintes de crueldade e com uma incrível facilidade,com o pé nas costas.
 Não precisa ser nenhum gênio para a percepção de uma tendenciosa manipulação dos fatos na abordagem sobre esse tema,no entanto a repetição em cima dessa visão dos fatos é tão repetitiva até mesmo em meios acadêmicos mais seletos,que acabam entrando como verdade até mesmo em mentes mais intelectualisadas,o que busco nessa postagem é uma abordagem menos parcial da questão.
 Primeiramente,todos devem saber,os índios estão longe de possuir em sua cultura um caráter pacifista,era bem comum a guerra entre diferentes tribos e para estas um diferente povo indígena era tão estrangeiro quanto os europeus que chegaram na nova terra.Então nunca existiu um caráter de união entre os índios,assim como nunca existiu também união entre os negros escravos.Na verdade enxergar índios e negros como apenas um povo é uma atitude preconceituosa recorrente no senso comum e um tanto quanto pouco corrigido no meio acadêmico.
 Vale ressaltar também a história do grupo linguístico de índios que estavam no litoral do que é hoje o Brasil,quando os portugueses aqui chegaram,os tupi guaranis.Na virada do milênio alguma espécie de tragédia ambiental,uma grande seca por exemplo,fez com que os tupi guaranis saíssem da Amazônia em direção ao litoral.Enquanto as planícies de Gália na Europa eram tomadas por tropas romanas,os tupi guaranis iam se expandindo em direção ao litoral,ocupando novos territórios e expulsando destes os nativos,diferentes grupos linguísticos que habitavam o litoral do que é hoje nosso território nacional foram corridos pelos tupi guaranis,ou seja,as tribos que estavam no litoral que recebeu a chegada dos portugueses,tinham uma história de guerra e conquista muito semelhante a européia,não existe um povo bélico e um pacifista,há na verdade dois povos bélicos.
 Além disso vale ressaltar o quanto é equivocada essa visão de uma guerra desleal,covarde e injusta.A supremacia dos europeus não era como se faz parecer,os grupos que aqui chegavam eram poucos e os tupi guaranis do litoral eram em torno de 1 milhão e meio a três milhões,não se sabe com precisão o número,mas eram imensa maioria,além do conhecimento do território e da precária condição de força e saúde que chegavam os europeus depois de meses em uma difícil viagem.Na verdade se houvesse uma união indígena como deixam a entender que existiu,a tomada da América pelos europeus muito provavelmente seria inviável.
 Além disso vale ressaltar também a existência de uma mistura cultural e a vontade de índios de viver entre brancos que era tão comum quanto a vontade de brancos de viver entre os índios,provadas em cartas de jesuítas reclamando a corte quanto a dificuldade de cristianizar os índios quando muitas vezes os brancos cristãos é que demonstravam querer se indianizar,assim como muitos índios saíam de suas tribos pra viver no meio dos brancos.
 Tirando as doenças,o que mais matou os índios no Brasil sem dúvida foram as Bandeiras,e aí está a prova cabal de que quem matou os índios no Brasil foram os próprios índios.Essas expedições tinham no mínimo dois índios pra um branco,embora o normal fossem dez índios pra cada branco,na bandeira mais sangrenta de nossa história,chefeada por Raposo Tavares,haviam novecentos paulistas e dois mil índios tupis,e ainda há a desconfiança histórica de que na verdade o número de paulistas esteja hiperdimensionado.
 Essa postagem deixa claro então o quão precipitado é a vilanização dos brancos e a mitificação do heroísmo indígena quando o próprio indígena ajudou na ocupação européia do continente americano,se analisarmos a conquista espanhola,a influência indígena teve ainda mais importância.O gosto pela guerra infelizmente não é exclusividade do branco europeu.
 Créditos ao excelente jornalista ex colunista da revista Veja Leandro Narloch pelo levantamento de alguns dados e informações que foram essenciais para essa postagem.Obrigado a todos pela visita,voltem sempre.

7 comentários:

Thiago Damião disse...

interessante o assunto. Mas os europeus tinham armas de fogo, isso não foi citado no texto.

Romário Marques disse...

Concordo com o comentário acima. Não foi comentado que os Europeus tinham armas de fogo.

http://romariomarquess.blogspot.com.br
Retribuo todas as visitas e comentários!

Fabinha disse...

Excelente texto... Ótima iniciativa em esclarecer determinados fatos históricos.

Lulis Paz disse...

Vale a pena abordar tal matéria pra desenvolver o senso crítico =)

Se ainda não me segue, dá uma seguida lá xD
Aproveita e deixa um comment, valeu?
brigadão

www.luliskd.blogspot.com

Gauche gauchíta disse...

É claro q os índios foram manipulados estrategicamente pelos europeus, Vc acha msm q os brancos iriam lutar no mano a mano numa terra assim q ele ñ conheciam ?Isso é uma tática bem conhecida...feita tbm com várias tribos na África...é o lema " Dividir pra conquistar " Até parece q eles ñ tem culpa na dizimação...os brancos tiveram sim hein ! Até hj o q mais acontece é o extermínio de milhares de inocentes de índios nas regiões interioranas do Brasil ! Além disso, o descaso com eles, minorias e vítimas sociais, deveria ser uma vergonha para todos nós q só ficamos aqui sentados e vendo tudo isso acontecendo de forma mórbida !

Gauche gauchíta disse...

Mas apesar dos pesares...tem mta coisa interessante na postagem e eu gostei viu... legal sim !

Calvin Watterson disse...

Bom te ver por aqui,minha prima...A participação européia na ocupação territorial e dominação da América é inquestionável,não estou querendo absolver esse lado da história,apenas querendo mostrar outro ignorado por todos os livros didáticos.Como relatado no texto,muitas tribos de outros grupos linguísticos já tinham sido extintas pelos tupi guaranis quando esses se deslocavam rumo ao litoral e quando isso acontecia o branco sequer sonhava em chegar aqui.O que é constantemente realizado na História que nos ensinam e é um assassinato da verdade é a separação de heróis e vilões na História.O índio via em outro índio de tribo distinta um estrangeiro tanto quanto um europeu,e sua tradição de guerras era igual ou até maior que a dos brancos.O que quis dizer no texto é que a conquista da América seria inviável se não contasse com o apoio dos próprios índios,uns contra os outros.